Rodrigo Lacerda

Marcelo Lacerda – São Paulo, 06 de Julho de 2020.


Fonte: Arquivo Rodrigo Lacerda

Saudações povo do samba!

Essa semana vou falar um de um grande músico da cidade que coincidentemente carrega o mesmo sobrenome que eu, isso mesmo ele não é meu parente, antes que me perguntem, (já ouvi essa pergunta algumas vezes ), embora sejamos irmãos no samba !

E é com muita alegria que lhes apresento a trajetória do cantor e compositor Rodrigo Lacerda!

Rodrigo Lacerda nasceu em 03/08/79 e passou a infância, adolescência e boa parte da vida adulta na Viela Botafogo, região da Alameda Amélia, (próximo a um samba que acontecia todos os domingos que frequentei bastante na Alameda Yayá por volta dos anos 2000), teve  uma infância e adolescência comum, nem tinha tanta pretensão com o samba, apesar de sua família gostar muito, até que em 1997 ele cabulou aula e foi conhecer o saudoso Auge Bar na Vila Maria e então naquele momento decidiu fazer da vida o que faz até hoje. Em 1998 entrou no grupo “K Entre Nós”, do bairro Jardim Santa Mena, onde tocava teclado, e trabalharam em várias casas noturnas da cidade na época: Tia Redonda, Casa do Som, Planet Beer e tantas outras, com o final do grupo Rodrigo seguiu cantando, passando os perrengues de todo início de carreira,  os amigos proprietários do “Mistura Brasileira” foram os primeiros a abrirem as portas pro seu projeto (cantor e banda), deu uma parada e em 2010 voltou com força total, e começou a se apresentar no Maria Zélia, Bovinus, Estação São Jorge e outras casas renomadas em São Paulo, gravou seu primeiro EP em 2015 “Eu, Você e o Samba” produzido pelo Beto Deyvis, e no mesmo ano participou da Expomusic.

Nessa mesma época começou também a frequentar o Rio de Janeiro, muitas vezes fazia “bate-volta”, 13 horas na estrada , saía de casa ás  5 da manhã e voltava meia noite, tudo isso pra divulgar seu trabalho e ao mesmo tempo conciliar com o seu emprego.

Nessas idas e vindas ao Rio teve a oportunidade de se apresentar na RocinhaBeco do Rato, Clube Helênico e também no Cacique de Ramos.

Conheceu o compositor Wagner Nascimento que o ensinou muitas coisas no samba e lhe apresentou a música “Sujou Geral” que foi gravada pelo Rodrigo.

Foi convidado para fazer uma participação no DVD do cantor Elias Trindade e participou também do projeto “Nosso Samba Tá Aí” que contou com músicos excelentes da cidade, como Ademilson Marçal, Robson Duprata, Rafinha Reis entre outros (que se já não passaram por essa coluna , em breve vão estar), foi realmente um projeto muito bonito o qual eu recomendo com músicas inéditas e gravado no Espaço Refúgio.

Infelizmente Rodrigo Lacerda teve que se afastar do projeto por problemas em sua voz , mas segue fazendo tratamento e para alegria dos seus fãs seguirá cantando, prova disso foi sua live que foi transmitida dia 06 de junho que pôde comprovar que o tratamento graças a Deus está lhe fazendo muito bem!

Veja mais sobre Rodrigo Lacerda na sua Fanpage aqui na Revista Cavaco!

Contatos com o Colunista:
E-mail: mlarcerda@revistacavaco.com.br