Mais Forte que o Veneno da Serpente

Renata Romano – São Paulo, 17 de Julho de 2020.


Fonte: Acervo Próprio

Hoje nossa coluna o Samba é Delas, nós vamos falar do papel importante de uma mulher na avenida Interpretando um samba enredo. Sabemos que as mulheres enfrentam vários tipos de dificuldades quando são chamadas para ser interprete do carnaval, por que a maioria das pessoas pensam que apenas homens podem ter tal função, mas meus caros leitores, tem mulheres maravilhosas que fizeram tal feito com muita Maestria e que deixaram seus nomes gravados na história do carnaval.

Por que conduzir um Samba-Enredo de uma Escola em um desfile de carnaval não é missão das mais simples? é preciso ser dona de uma voz potente e ter um estilo marcante.

Uma das nossas interpretes do carnaval paulista que deixou seu nome gravado na história é a cantora Marcia Inayá, uma mulher paulistana, nascida e criada na zona leste de São Paulo.

Que honra falar de Marcia Inayá, que momento maravilhoso, bater um papo tão agradável e cheio de risadas com ela, que nesse ano está comemorando seus 34 anos de carreira com a sua voz bem aveludada, uma personalidade marcante, guerreira por natureza e maravilhosa em tudo que faz.

Marcia Inayá, começou sua carreira em meados de 1985, quando participou do 1° Festival de MPB, produzido pela Faculdade da Zona Leste, no qual ganhou o Troféu de Melhor Interprete da Música Popular Brasileira .

Seu talento foi tão notado por sua voz marcante e sua interpretação tão exemplar no samba, que em meados de 1986, foi convidada pela escola de Samba Imperador do Ipiranga á interpretar o samba enredo da escola na avenida, no qual lhe rendeu o prêmio de “Interprete Revelação do Carnaval” .

Um dos momentos mais especiais na vida da cantora Marcia Inayá devido sua bela performance no carnaval de São Paulo, foi ter sido convidada pela gravadora Raposa Discos a gravar seu primeiro Vinil chamado de “Amor dos Outros” em parceria com o Cantor Tobias da Vai – Vai, no qual lhe rendeu seu 1° Disco de Ouro.

Quantas maravilhas na vida da Marcia Inayá, logo no começo de sua carreira receber tantas honras e prêmios pela sua dedicação e amor ao samba, não é pra qualquer uma.

E novamente a cantora Marcia Inayá estava na avenida, convidada para fazer parte do carnaval paulistano, como Interprete do Samba Enredo pela Escola de samba Nenê de Vila Matilde, uma das e mais tradicionais escola de samba de São Paulo, sua escola de coração, juntamente com o interprete Armando da Mangueira que foi considerado como uma das maiores vozes da história do carnaval de São Paulo.

Com a sua carreira musical totalmente em ascensão, Marcia Inayá começou a fazer muitos shows em todas as escolas de samba de São Paulo, shows também em várias casas de Samba, participou de muitos programas de televisão como da nossa saudosa Hebe Camargo, Fausto Silva, Raul Gil, SPTV, Jornal Nacional, Mulheres em Desfile da Tv Gazeta e entrevistas nas Rádios de São Paulo, tais como: Rádio Usp no Programa O Samba Pede Passagem do grande radialista Moisés da Rocha, Rádio Tupi, Gazeta FM, Rádio Tropical e Rádio Globo.

Um de seus maiores orgulhos foi ter divido palco com cantoras maravilhosas como Clementina de Jesus, Dona Ivone Lara, Leci Brandão, Jovelina Pérola Negra, Eliana de Lima e com os cantores maravilhosos do nosso samba como Almir Guineto, Zeca Pagodinho, Fundo de Quintal, Reinaldo, Boca Nervosa e Roice do Cavaco.

Infelizmente a cantora Marcia Inayá, teve problemas nas suas cordas vocais no qual fez com que ela interrompesse sua carreira por um curto tempo por causa da recuperação da sua cirurgia, mas isso não fez com que ela desistisse dos seus sonhos. Depois de totalmente recuperada voltou a cantar e encantar com a sua fibra, garra e amor ao samba, que resultou no  lançamento do seu 2° CD “Vem pra Ficar“.

Depois da vitória com a sua saúde virou tema de escola de samba e foi homenageada pela Escola Paineira de Sapopemba, no enredo de 2014 “Paineira Canta Inayá Mais Forte Que o Veneno da Serpente“.

E em 2019 na Escola de Samba Águia de Ouro recebeu uma homenagem, junto as Cantoras Eliana de Lima, Tia Cida Dos Terreiros e Elisete Rosa em homenagem as Damas do Samba Paulistano.

Seu Agradecimento maior é para o seu esposo Marcos Diniz 7 Sete CordasMeu Amor Eterno” (como carinhosamente ele o trata). Falecido em 2015, contribuiu muito para o seu sucesso profissional, pessoal e familiar, no qual viveram 37 anos juntos de muita luta e vitórias.

Muito Obrigada Marcos Diniz 7 Sete Cordas – Meu Amor Eterno

Nosso Bate Papo

Como foi pra você quebrar barreiras e se tornar Intérprete revelação em 1986 do Carnaval de São Paulo?

Pra mim foi extremamente gratificante e novo, até hoje me sinto muito honrada, por que esse titulo é pra poucos e eu não tive nenhum problema em quebrar barreiras, por que a aceitação pelas comunidades das escolas no qual eu fiz parte sempre me receberam muito bem, principalmente na avenida Tiradentes no qual todas as escolas desfilavam naquela época e ás pessoas jogavam flores e bombons para mim na hora do desfile. Era uma alegria! Felicidade e gratidão que não tem explicação.

Qual a importância de ter seu nome, como inspiração de enredo da Escola de Samba Paineiras?

É gratificante demais, por que ter uma homenagem do seu nome em vida em uma escola de samba é maravilhoso, só mostrar que eu faço parte do Carnaval de São Paulo é uma honra pra mim.

Por você ser mãe, cantora de samba, intérprete de samba enredo, você teve o apoio da família?

Total apoio! Por que juntamente com meu marido, que era meu produtor e meu músico, (na realidade ele foi meu tudo na minha vida), minha referência total, ele que me ajudava em tudo. Nossos filhos devido a criação no mundo da música e do samba, hoje são excelentes músicos.

Você já pensou em desistir pelo fato do mercado musical ser difícil?

Desistir não faz parte do meu vocabulário, mas pensei em dar um tempo, por que o dinheiro é necessário pra tudo, mas com muita força e meu amor pelo samba eu segui em frente, por que Deus me capacitou pra isso e ele sempre ilumina meus caminhos, para colocar pessoas boas, que me auxiliam sempre para o bem.

Qual mensagem você deixa para as mulheres sambistas e musicistas do nosso Brasil?

Jamais desistam dos seus sonhos, lutem com todas as suas forças, devemos seguir em frente mostrando nosso talento, nossa alegria e sempre mostrar nossa força feminina. Eu fico muito entristecida com a falta de união no samba paulista, mas sempre temos pessoas que podemos contar para que nossa luta em prol da música seja vitoriosa.

Obrigada Marcia Inayá, muito sucesso na sua carreira.

Até á próxima, meus caros leitores.

Contatos com a Colunista:
E-mail: renataromano@revistacavaco.com.br