Bicudo da Ilha – Compositor e interprete

Drico Mariano – São Paulo, 18 de Junho de 2020.


Fonte: Bicudo da Ilha

Nascido em Recife, capital do Estado de Pernanbuco, começou a sua carreira com 14 anos, no Bloco Unidos da Ribeira como cantor e compositor no bloco que fazia parte da União da Ilha, falar de Bicudo da Ilha, é falar de muitas histórias no Rio de Janeiro, Rio 40° graus, Capital Cultural, Universidade do Samba, União da Ilha do Governador e muito mais.
Amigo íntimo dos músicos e compositores Djalma Falcão atual Presidente da Escola de Samba União da Ilha do Governador e também de outro grande músico, cantor, compositor e ex-integrante do Grupo Fundo de Quintal, Cleber Augusto.
Foi na ILHA DO GOVERNADOR, Rio de Janeiro, reduto de samba e pagode onde em 1983, Neoci (que participou do 1° LP do Grupo Fundo de Quintal, onde lá também faziam parte do grupo, Almir Guineto, Jorge Aragão, Sereno, Ubirani, Bira Presidente, Valtinho Sete Cordas e Sombrinha), é ele mesmo, um dos fundadores do Grupo Fundo de Quintal, teve a sensibilidade em descobrir o talento de Bicudo.

Bicudo compositor:
Na Escola de Samba União da Ilha do Governador, Bicudo teve a competência em ganhar quatro sambas de enredo em parecerias nos anos de 1988 sendo “Aquarela do Brasil“, 1993 sendo “Os Maiores Espetáculos da Terra“, 1999 sendo ” Barbosa Lima, 102 anos do Sobrinho do Brasil” e 2005 sendo “Das Veredas dos Trilhos a Um Sonho de Fé… a Ilha Traz a Conquista do Pináculo, Corcovado Tentação“.
E ainda nesta esteira como compositor teve as suas obras gravadas por vários artistas renomados sendo eles: Grupo Fundo de Quintal (Antigas Paixões, Amizade, Timidez, Falso Heroi e Fera no Cio; Marquinhos Satã (Quem ama, quem chora); Dominguinhos do Estácio (Boêmio de verdade); Reinaldo (Amizade); Arlindo Cruz, Toque de Arte (Cadê você); Grupo Bom Gosto (Amizade); Grupo Raça, Mel na Boca (Cheiro de Solidão); Exaltasamba (Falam por aí ) e etc…. e hoje, com a música “AMIZADE“, já pontua em primeiro lugar em várias estações de rádio e também virou um hino da nossa música popular brasileira.

Curiosidade: em 1988, Bicudo não era formalmente da ala de compositores mas já andava bem próximo de fazer parte da mesma, mas se intitulava como estagiário, foi quando logo depois do carnaval, abriram mais cinco vagas pra audição e fazer parte da ala de compositores que era de 40 compositores pra 45 canetas de ouro. Foi então que passaram a fazer parte da ala de compositores: Bicudo, Djalma Falcão e Neoci ex- Fundo de quintal e outros dois.

Bicudo interprete:
Cantou em vários lugares bacanas, no Rio e em alguns estados do Brasil.
Sendo: Piratas Fortaleza, Boate Galery (São Paulo), Fábrica do Samba (São Paulo), Terra Brasil (São Paulo), Tom Maior, Consulado da Cerveja (São Paulo), Associação da Polícia Militar (Recife), Golden Run (Copa Cabana Palace), Palcos da Prefeitura do Rio de Janeiro no carnaval, Teatro Rival, Rio Sampa, Rio Scenárium, Casa de Mãe Joana, Mangue Seco na Lapa, Planeta Ribeira, Pontapé Beach.

Bicudo músico:
Toca cavaco , banjo, violão e também toca percussão.
Nos anos de 1988, 89, 90, 93, 95 e 2005, foi cavaco oficial da Escola de samba União da Ilha do Governador.
Tocou caixa na bateria da União da Ilha do Governador.

Seus CD’s:

CD Poeta Menestrel. (1º CD).

CD ‘ BOEMIO DE VERDADE” (2º CD) Com um repertório que privilegia as raízes do samba sem desprezar o romântico, Bicudo conta com a produção musical e arranjos de Ronaldo Justo e Djalma Falcão.

 

Contatos com o Colunista:
E-mail: dricomariano@revistacavaco.com.br