Mestre Thiago ( Thiago PX )

Drico Mariano – São Paulo, 22 de Junho de 2020.


Fonte: Internet

Um paulistano de nome Thiago Praxedes, mais conhecido como Thiago PX ou Mestre Thiago. Já nasceu no meio da música, arte musical no sangue, assim em uma família de músicos, tendo seu pai como espelho, o Sr. Jair Facão um ritmista da Escola de Samba Unidos do Peruche. Destarte, temos o Bairro da Casa Verde Alta como sendo o quintal de casa de Thiago PX.  Em 1986 iniciou nos desfiles de terça de carnaval da rua Zilda, participando pela primeira vez de um desfile de carnaval pela Peruche, com o enredo “Palhaço Negro“, vestido de palhacinho e detalhe, com uma fantasia confeccionada gentilmente por sua querida e saudosa avó, mais conhecida como tia Bilica, desta  forma desfilou pela ala das crianças da Peruche até 1989, sendo também este mesmo ano o último que seu pai desfilou pela bateria da Peruche.

Conheceu a Escola de Samba Barroca Zona Sul em 1990, mas era proibido por sua mãe Dna. Cida de frequentar os ensaios, e olha que, a  agremiação era praticamente em frente onde  PX morava, pois ele jogava bola no campo ao lado da antiga quadra debaixo do viaduto na imigrantes, e era muito difícil segurar o garoto.

Escola de Samba Brinco da Marquesa, Mestre Thiago teve contato em 1994, e foi arteiro pois a mesma fica na Vila Brasilina que era ao lado da escola onde estudava, e assim ele organizava batucadas com os instrumentos da fanfara da escola em sala de aula onde lhe rendia  muitas advertências. Em 1996/1997, teve a oportunidade de compor o seu primeiro samba de enredo ficando em segundo lugar na disputa. Mas não desistiu e nos anos de 2002/2003/2004 e 2014, ganhou a disputa de samba de enredo e também é autor do hino exaltação da mesma.

Enfim, na Escola de Samba Barroca Zona Sul iniciou no tamborim, repinique e depois passando por todos os naipes e então passou a ser o surdo de marcação na avenida no carnaval do ano de 2000. Mas até este acontecimento, PX passou pelos diretores de bateria Bolão, Dilley, Jelier, mas foi a partir do mestre Bagulé que se fixou na bateria. E ainda  temos a chegada do Mestre Lagrila de 1998 pra 1999 e assim foi formada a bateria mirim da escola, Lagrila teve a sensibilidade e percebeu a liderança de Thiago e o convidou pra ajuda-lo. E nesta esteira de 1999 à 2003, Mestre Thiago teve a incumbência pela formação de novos ritmistas da bateria da Barroca Zona Sul. Nesta época assume a bateria do “Bloco Me Engana Que Eu Gosto”, hoje extinto.

Como ritmista ao longo dos anos desfilou por algumas escolas: pela Peruche, e logo após  foi convidado por um primo de seu pai, o tio Jau pra desfilar na Escola de Samba Mocidade Alegre, anos depois teve um convite do grande Mestre Tadeu e assim migrou pra escola de Samba Vai-Vai como caixeiro.

Finalmente em outubro de 2004, Thiago Px, teve a chance de assumir a Bateria da Barroca Zona Sul, foi quando se tornou o Mestre de Bateria mais jovem do carnaval Paulistano a frente de uma Bateria do Grupo especial de São Paulo com apenas 21 anos de idade, e assim foi agraciado pela Madrinha Leci Brandão e por seu saudoso Padrinho Mestre Binha filho do também saudoso Pé Rachado, com o título de Mestre Thiago. 2004 e 2005 no grupo especial e em 2006 no grupo de acesso foi a única escola de samba deste grupo a conquistar a nota máxima, e na ocasião surgiram vários convites de outras escolas de samba.

Enfim no ano de 2007, em razão de uma nova gestão teve que deixar a direção de bateria da Barroca. Mas foi 2007, um ano promissor ao mestre Thiago, pois passou a comandar a bateria da Escola de Samba Brinco da Marquesa e com nota máxima de novo. Chegando abril de 2007, PX, iniciou um movimento de samba de terreiro e batucadas itinerantes juntos de seus amigos: Dogão, João Sampaio, Salgueiro, Noel, João Paulo, Junior, Ricardo, Tiago Lenci, Tonhão, Jhowjhow, Claudinho, Laerte, Fernanda, Lilian – Com quem foi casado 12 anos, Kuka, Aquiles, entre outros.

Participou em 07/07/2007 no bairro da Saúde da fundação de uma nova escola de samba, espelhada no Quilombo de Candeia e com as cores da Escola de Samba Império Serrano pra homenageá-la.

Destarte, surgiu o Grêmio Recreativo Social e Escola de Samba Quilombo, a 13 anos desfilando nos carnavais e sempre com temas afro. Com um contingente de 700 componentes, o Quilombo ganhou expressão com a dedicação de negritude e lembrando as escolas de samba do passado, se apresentando nas quadras das várias escolas de samba de São Paulo.

Na Escola de Samba Imperador do Ipiranga, nos anos de 2009 e 2010 esteve a frente da direção de bateria.

Barroca Zona sul em 2010, teve a queda pra U.E.S.P, e Mestre Thiago retornou pra escola ficando até 2012, onde teve em sua direção a premiação de melhor bateria do acesso 2.

Também em 2012 pelo grupo de acesso, comandou a bateria da Escola de Samba Morro da Casa Verde.

Pelo Rio de Janeiro, desde 2004 já desfilava pela Império Serrano, depois pela Portela e em 2013 desfila pela Estação Primeira de Mangueira.

Em Julho de 2013, PX, realizou o evento Centenário de Pé Rachado, onde lançou um livreto com a história do sambista. Thiago Px, é ativista dos movimentos de origem africana, candomblecista, participante de rodas de samba de comunidades e lidera a Roda de Samba do Quilombo, uma das mais consideradas da cidade de São Paulo em matéria de raiz.

Caminhando temos o Batizado do G.R.E.S Quilombo pela Escola de Samba Império Serrano, em 2015 no mês de novembro. Evento que marcou a vivência do Mestre Thiago desde 2002 na Serrinha e selou de vez a Verde e Branca da Zona Sul em defesa do verdadeiro samba raiz, origens e respeito às tradições. O Quilombo ainda tem o Sr. Carlão do Peruche como padrinho e que também já foi enredo da Escola em 2010, a Escola tem Ogum e Oxum como padroeiros.

Thiago PX, também desfilou com a sua caixa de guerra como chama carinhosa a sua peça rítmica na Bateria Sinfônica do Samba, com os mestres Atila e Gilmar.

Projeto Remandiola“, uma roda de samba Inspirada no Samba do Trabalhador do Rio de Janeiro, Mestre Thiago também foi o fundador. O Remandiola acontece todas as sextas-feiras, onde por lá passaram grandes ícones do samba:  Toninho Geraes, Mauro Diniz, Aluizio Machado, Arlindo Cruz, Dudu Nobre, Eliana de Lima, Carica, Silvio Modesto, Dorinho Marques, Tobias da Vai-Vai enter outros.

Thiago PX, participou de muitas gravações de samba de enredo; e aqui também tem o destaque em sua participação na gravação do último disco do Grupo Quinteto em Branco e Preto junto com mestre Neno, entre outros trabalhos.

 

Contatos com o Colunista:
E-mail: dricomariano@revistacavaco.com.br