Eros Fidélis

Revista Cavaco – São Paulo, 27 de Maio de 2020.


Fonte: Internet

Nossos agradecimentos iniciais ao sambista e amigo Valmir Lucatelli pela indicação e apresentação do nosso convidado.

Eros Fidelis da Silva, nome de batismo desse ilustre cantor e compositor, músico e formado em medicina especializado na área de pediatria, um dos criadores da obra “Falsa Consideração“, samba esse gravado por grandes nomes e podemos dizer que um dos sambas mais tocados e cantados. Teve participação em diversos sucessos até infantis, como o Trem da Alegria, Molecada, Patati Patata entre outros. Um grande projeto de Eros é o EP “Eros Canta Agepê” uma grande homenagem a um dos maiores sambistas dos anos 70/80.

Um bate papo com Eros Fidélis.

Antes de mais nada gostaríamos de agradecer sua disponibilidade para esta matéria.
Perfeitamente, eu também agradeço a oportunidade de estarmos juntos!!!

Eros quando foi seu primeiro contato com a música?
Bem cedo, na infância via meu pai cantando e tocando violão, me estimulando a aprender e já pequeno eu cantava.

Tem familiares músicos também?
Hoje em dia não, só eu.

Alem de cantor e musico, você também compõe, qual foi sua primeira composição?
Amadoristicamente. O PORTEIRO – Festival de música do Colégio Estadual V. De Cairu onde estudava em 1966. Profissionalmente em 1976, FOTOS E IMAGENS,  gravada pelo cantor Roberto Barradas.

Que tipo de letra você se identifica mais na hora de compor?
Tenho músicas em todos os estilos e seguimentos, procuro criar no abstrato, no cotidiano, no infantil enfim, a inspiração é quem manda.

Quantas composições você tem até hoje e quantas foram gravadas?
Acredito que umas 600 num total de 400 gravadas e 200 inéditas … para ser mais preciso tinha que levantar esses números.

Poderia citar alguns títulos de suas composições?
Lá de trás pra cá que fizeram muito sucesso: Mil razões para chorar, Domingo, Roda gigante, Chora, Nada mais, Coisa louca,  Chuveiro Chuveiro, Tartaruga Ninja, Falsa Consideracão, Lua Vadia,  Dom de fingir , Cafuné,  etc. etc.. É melhor parar kkk

De todas as suas composições, tem alguma que você se identifica mais?
Agora essa pergunta complica por que são muitas, e compondo eu não tenho estilo, como disse no início eu compus em todos os estilos, mas digamos “COISA LOUCA” Gravada pelo cantor Dunga e por mim.

Alem do violão, algum outro instrumento que você goste ou saiba tocar?
Teclado meio destreinado, mas fui além de guitarrista também tecladista em conjuntos.

Quais nomes no samba para você são referências como compositores?
A música tem o compositor e o autor, são tantos que eu admiro mas compositores (fazem música): 2 pelo menos: João Nogueira e Gonzaguinha. Já autores (fazem letra ) Paulo Cezar Pinheiro e Chico Buarque.

E quais nomes para você, como interpretes?
Roberto Ribeiro, Alcione, Clara Nunes, Reinaldo realmente cantaram e cantam.

Não sendo você, quem escolheria para gravar um samba seu?
Se pudesse CLARA NUNES!

Como você vê o samba hoje em relação ao passado?

As variações do samba desde o tempo do “semba” me parece vindo com os costumes africanos, e  passou a samba, me faz dizer que, através dos tempos o samba procurou acompanhar a evolução da sociedade brasileira.

Que conselho você daria a essa juventude hoje que pretende ter uma carreira artística?

Independente do que querem na música … compor, cantar, tocar um instrumento. Não esqueçam jamais: procurem se espelhar nas referências que são verdade.

Se você fosse escolhido para fazer um samba em homenagem a um estado brasileiro, qual seria esse estado? e por que?

São Paulo, pois está respeitando e levando o samba a sério de uma maneira ampla em todos os itens que podem nos levar a um samba de primeira

Contatos com Eros Fidelis:
11 99564-5909
facebook.com/eros.fidelis
Contatos em SP
11 96637-4608
Valmir Lucatelli

 

Matéria por: Revista Cavaco.
E-mail: contato@revistacavaco.com.br