Tabajara Rosa

Revista Cavaco – São Paulo, 17 de Julho de 2020.


Fonte: Revista Cavaco

Tabajara Rosa é filho de músico. Seu pai, José Benedito da Rosa, foi regente e instrumentista, com composições variadas e grandes amigos no meio musical. Tabajara Rosa iniciou carreira musical como violonista de grupo de congada, depois tocou em quermesses e bailes. Na década de 1960, no contato com Osvaldinho da Cuíca conhece a fundo as manifestações afro-brasileiras; e se aproxima das escolas de samba de São Paulo, seus sambistas e baluartes.

Em 1973 compõe a música “Direitos” que, 10 anos depois, é inscrita em um grande Festival de MPB – o “MPB Shell” – de 1973 trata se de uma obra de vanguarda, não classificada na ocasião, mas com letra bastante atual, pois já se referia a inversão dos direitos já naquela época.

Nesse mesmo período inicia-se uma história de parceria com Ronaldo Camilo (Músico, Compositor, Arranjador, Professor de Música), ainda bastante jovem na época, com o qual em uma bonita afinidade cultura e musical, rendeu as composições das belas canções “Livre”, “Corre Menino”, “Tributo ao Guerreiro”, “Cântico da Rosa” e “Carta ao Mar”, canções que viriam compor o seu primeiro disco anos depois.

Honrado em ser apresentado à Luiz Carlos da Vila, compôs “À Fina Flor do Samba” (Tabajara Rosa / Luiz Carlos da Vila / Ronaldo Camilo / Pezão de Itaquera) em sua homenagem e, por último, “Palavras Cruzadas” junto com esse ícone do samba carioca.

Entre seus estudos, passa a ter aulas de harmonia por um curto período de tempo com o mestre Luciano Machado (Músico Especialista em Violão 7 Cordas, Cavaco e Bandolim e Professor)  estabelecendo uma relação de grande admiração e carinho.

Seus trabalhos como compositor ficam estacionados por um tempo e, levado por Madá (Tias Baianas Paulistas) é apresentado ao saudoso “Valtinho das Baianas” que o incentiva voltar a compor e o reconecta aos companheiros de outrora – Osvaldinho da Cuíca, Gilson Nunes, Benedito Justino (Nenê da Vila Matilde), Mestre Lagrila, Seu Carlão (Peruche) e Denise Camargo – retomando o processo de composições e sua participação efetiva na Cultura Sambística de São Paulo. – Encontros que cruzam essas estradas, essas histórias, conjugando os três tempos verbais dessa vertente, unindo com muita beleza diferentes gerações.

O Nosso Coração é Claridade” e “Tributo à Valtinho das Baianas”, gravadas pelo grupo Tia Baianas Paulistas marca este encontro e está gravado na coletânea “Memórias do Samba Paulista” (Selo: Kolombolo Diá Piratininga – Guga Stroeter, Kaçula e Renato Dias – 2002/2003)

Ouça, entenda com teu coração –  (Tabajara Rosa)

Abriu A Boca – (Tabajara Rosa/ Nó Presentini)

Potencial  –  (Tabajara Rosa)

Do Outro Lado da Floresta  – (Tabajara Rosa)

Desculpe Aí  – (Tabajara Rosa)

Direitos  – (Tabajara Rosa)

Livre  – (Tabajara Rosa/Ronaldo Camilo)

Corre Menino  –  (Tabajara Rosa / Ronaldo Camilo)

Tributo ao Guerreiro   – (Tabajara Rosa / Ronaldo Camilo)

Cântico da Rosa  –  (Tabajara Rosa/ Ronaldo Camilo)

Carta-ao-Mar  – (Tabajara Rosa/ Ronaldo Camilo)

Salve a Baiana  – (Tabajara Rosa)

A Noite Convida  – (Tabajara Rosa)

Café no Bule – (Tabajara Rosa)

Santa Maria me Ajude –  (Tabajara Rosa)

O Nosso Coração é Claridade  – (Tabajara Rosa)

Tributo a Valtinho das Baianas –  (Tabajara Rosa)

A Minha Escola Preferida –  (Tabajara Rosa)

Lira de Ouro  – (Tabajara Rosa/ Gilberto Xique-Xique)

Canto de Candura  – (Tabajara Rosa / Anita Galvão Bueno)

Igual a um Colibri  – (Tabajara Rosa / Anita Galvão Bueno)

Athame de Luz  – (Tabajara Rosa / Marcia Cassiana Rosa)

Amor Resgate da Esperança  – (Tabajara Rosa)

No Batuque do Tambor – (Tabajara Rosa)

Tributo a Luciano –  (Tabajara Rosa / Ronaldo Camilo)

Treze Circunferências de Samba  – (Tabajara Rosa, Mauricio Rocha Barach e Alberto Dantas)

Gatinha 90 –  (Tabajara Rosa)

Vá Nessa Luz  – (Tabajara Rosa)

Peludinha – (Tabajara Rosa / Valeria Rosa / Gil Meneck)

Rala-Rala –  (Tabajara Rosa / Valéria Rosa e Gil Meneck )

Forró da Mariana – (Tabajara Rosa / Valéria Rosa e Gil Meneck)

Valor da Vida –  (Tabajara Rosa)

Palavras Cruzadas  – (Tabajara Rosa / Luiz Carlos da Vila)

Povo & República – (Tabajara Rosa)

O Sorriso do Palhaço  – (Tabajara Rosa)

Pura Luz – (Tabajara Rosa)

Samba Apaixonado  – (Tabajara Rosa)

Aprendiz da Paixão  – (Tabajara Rosa / Ronaldo Camilo)

Sete Linhas   – (Tabajara Rosa)

Vou Cantando – (Tabajara Rosa)

Ás da Manga –  (Tabajara Rosa)

Germinou  – (Tabajara Rosa)

Desarme –  (Tabajara Rosa)

Pagode do Canela (- Tabajara Rosa / Toinho Melodia)

As composições de Tabajara Rosa gravadas neste álbum recém-lançado percorrem toda essa riqueza musical que ele teve contato em São Paulo ao longo de sua vida. A produção e arranjos do CD é de Ronaldo Camilo, seu parceiro em várias músicas registradas no álbum.

O CD “Treze circunferências musicais” abre com o samba “Minha escola preferida”, cantado pelo próprio Tabajara Rosa. “No batuque do tambor” a interpretação é de Josenir Mendonça, o Semir, de um belo samba afro que evoca resistência.

A terceira faixa “Amor resgate da esperança”, cantado por Tito Amorim, é outro samba de referências afro. Em um comentário sobre essa sua música, Tabajara lembra que a letra reverencia os que viviam nos quilombos os quais “meu querido avô, na resistência, nos honrou lutando pela liberdade de seu povo e sobreviveu”.

A quarta música, uma ode a Zumbi dos Palmares, é uma parceria de Tabajara Rosa com Ronaldo Camilo. Ela chama-se “Livre”, interpretado por Luz Lima. Na sequência, a cantora Ully Costa dá voz a “Corre menino”, uma cantiga também de Tabajara e Ronaldo.

A sexta faixa é “Igual a um colibri” (Tabajara Rosa, Anita Galvão Bueno), interpretado por Anita, uma música com traços do samba rural paulista. Outra música de Tabajara e Anita foi gravada na sequência, “Canto de candura”, mas interpretada por Semir – trata-se de um ótimo samba.

Depois, Ully canta uma poesia, a “Cântico da Rosa” (Tabajara Rosa, Ronaldo Camilo). A nona faixa, outro bom samba, é “Athame de luz” (Tabajara Rosa, Marcia Cassiane Rosa), interpretada por Roberta Oliveira.

Tributo a Luciano”, com Rose Calixto, e “Carta ao mar”, com Ully Costa, são mais duas outras composições da dupla Tabajara e Ronaldo repletas de lirismo. Já “Tributo ao guerreiro” (ainda de Tabajara e Ronaldo) tem como intérpretes Priscila Lavorato e Cacau Ras.

O disco encerra com a música que dá nome ao disco, “Treze circunferências do samba” (Tabajara Rosa, Mauricio Rocha, Alberto Dantas), com interpretação de Tito Amorim. A letra percorre os caminhos do samba.

Plataformas digitais e Redes sociais

Spotify 
https://open.spotify.com/album/1RhgNagAdzVyjLpMIXL9lG…

Itunes
https://itunes.apple.com/…/treze-circunfer%C3%AA…/1328326916

Deezer
http://www.deezer.com/album/53970402

Soundcloud 
https://soundcloud.com/tabajara-rosa-737935434

Palco mp3 
https://www.palcomp3.com/tabajararosa/

CD Baby
https://store.cdbaby.com/cd/tabajararosa

YouTube 
https://www.youtube.com/watch?v=zArpddSPqAg

Facebook
https://www.facebook.com/compositortabajararosa/

Instagram
https://www.instagram.com/compositortabajararosa/

Twitter
https://twitter.com/tabajararosa

Google+
https://plus.google.com/u/0/105903725421027541164

Canal Youtube
https://www.youtube.com/channel/UCj3mAgRTKvZWndyob9UT5UQ…

Site
www.tabajararosa.com.br

Loja Virtual

www.tabajararosa.com.br/loja

Veja mais em nossa fanpage:
http://revistacavaco.com.br/tabajararosa

Matéria por: (Envio do Artista)
E-mail: contato@revistacavaco.com.br