Waléria do Cavaco

Revista Cavaco – São Paulo, 25 de Maio de 2020.


Fonte: Internet

Cantora e cavaquista de primeira, aprendeu a tocar violão aos 10 anos de idade, tocando como hobby em rodas de amigos, até que aos 16 anos passou a tocar o cavaquinho e como profissional e integrante de um grupo de expressão formado só por mulheres em 1996 com o nome de BATUK D’SAYA, que teve como principal incentivadora a madrinha Elba Ramalho.

Com esse grupo gravou programas como: Sem Censura e Fantástico, Note e Anote com Ana Maria Braga e tocando também em casas como: Teatro Rival, Asa Branca, Teatro da Praia, SESC, Hotel Vila Galé (Lapa), Hotel Selina (Lapa), Cacique de Ramos, G.R.E.S Academicos do Salgueiro, Bar do Zeca, Bigode Bar, Quiosque Samba Social Clube, Teatro João Caetano; ainda com o grupo se apresentou com artistas consagrados como: Elymar Santos, Bira Presidente (Fundo de Quintal), Leonardo Bessa, Dudu Botelho, Balacobaco, Maria Betania , Margareth Menezes, Anderson Leonardo e Andrézinho do Grupo Molejo, Alceu Maia, Jorge Cardoso, Juninho Rezende (Cavaquinista do Mumuzinho), Camilo Mariano (Baterista do Sorriso Maroto), Beça (Bom Gosto), Flavio Homero (Integrante do Clareou), Bira Haway, Chrigor, Alcione, Arlindinho e Marquinho Sathan.

Viajou com o Padrinho ( Marquinho Sathan ) pra fazer Shows em Roraima. Fez turnês pelo Nordeste em grandes eventos e trios elétricos com Elba Ramalho, que também apresentou o grupo ao público durante uma semana com sucesso de bilheteria no Teatro Rival.
Atualmente, vem fazendo um trabalho solo, ganhando público com muita divulgação, fazendo apresentações com diversos grupos e artistas, sempre acompanhando a evolução com um repertório variado para agradar a todos os públicos, mas sempre predominando a raiz.
Numa longa estrada, seguindo sempre com muita irreverência, num resumo de 30 anos, sempre fazendo shows em diversas casas do ramo dentro e fora do estado.

Um bate papo com Waléria do Cavaco.

Primeiro é um prazer fazer essa entrevista com você e desde ja agradecemos seu tempo disponibilizado.
Ô querido, o prazer é todo meu! Eu quem agradeço pelo convite!

Waléria com que idade você começou a se interessar por musica, mas precisamente por samba?
Comecei a me envolver com música aos 10 anos , com 16 comecei a aprender cavaquinho e ingressei no estilo samba!

Teve alguma influência familiar, alguém da sua família também é musico?
Sim, quem me deu o pontapé inicial foi meu irmão que toca violão e contrabaixo, meus pais também arranhavam no violão rs , esta no DNA mesmo .

Fora da sua família algum artista ou musico te inspirou nessa sua carreira?
Sim, Leci Brandão e Alceu Maia

Além de intérprete e cavaquinista você também compõe? se sim diga alguns títulos de suas composições.
Não sou Compositora, Mas compus uma única música, que se chama “Cicatrizes”

Hoje você é muito conhecida pelo seu talento com o cavaquinho, mas você tem toca algum outro instrumento ou tem vontade de aprender?
Sim, toco violão e banjo, que foram os meus primeiros instrumentos antes do cavaco.

Notamos que você interpreta muitos autorais de outros sambistas, como chega até você? vai atrás ou as pessoas pedem pra você interpretar?
Hoje tenho um projeto “Novos Compositores” que resolvi criar para ajudá-los a divulgar as músicas guardadas nas gavetas, porque o custo de um Studio muitas vezes impossibilita os compositores de apresentar suas músicas , digamos arrumadinhas para produtores e artistas , enfim , hoje muitos me procuram para divulgar suas músicas, que pra mim é uma honra , alguns me chamam de “madrinha” que fico muito lisonjeada!

Quando você interpreta samba de pessoas que não tem espaço na mídia você esta contribuindo muito para o reconhecimento de tantos poetas, como você se sente contribuindo dessa forma?
Sem palavras para definir tal sentimento, mas num resumo, eu me sinto privilegiada em poder mostrar ao mundo tantos talentos que ninguém conhecia! Deus me deu o dom e eu faço com muito amor e carinho cada música que chega pra mim!

Se você pudesse gravar um samba famoso, qual seria esse samba?
Nossa são tantos que adoro, mas como só posso citar apenas 1, eu gravaria “Insensatez” que foi gravada pelo grupo Raça!

Se você pudesse tocar ao lado de uma grande sambista, fora esses que ja citamos no seu release, quem você gostaria de estar do lado?
Caramba pergunta difícil rs…mas eu ficaria muito honrada em cantar com Arlindo Cruz….quem sabe Deus traga ele de volta aos palcos e eu possa realizar meu sonho…tenho fé!

Como você vê a mulher no cenário do samba antigamente e como você vê hoje?
Houve um progresso muito grande em relação ao preconceito que hoje não temos tanto , mas quanto à talento, antes e agora temos grandes mulheres que representaram e representam o samba muito bem, claro que atualmente apareceram muitas mulheres mandando super bem e digo que não faço comparações entre a pegada de um homem ou mulher ,isso não faz sentido…ouço muito a frase “ela toca direitinho” kkkk mas digo a vcs que tem mulher que põe homem no chão ,por isso prefiro não fazer comparações e respeitar cada músico sendo homem ou mulher com igualdade de execução!

Você acha que além da voz, a imagem conta muito no cenário artístico?
Hoje nem tanto , as pessoas têm dado mais valor à qualidade e talento…

Que recado você daria a essa geração de mulheres de hoje que querem ingressar no samba artisticamente?
Meu recado é simples…entrem sim, tem espaço para todas, porém não esqueçam a humildade e respeitem o público, tenham carinho por eles , pois são eles quem fazem sua carreira, eles quem compram seu CD, eles quem saem de casa para assistir seu show…portanto dêem valor à quem as valoriza! Sucesso a todas!

Agradecemos sua atenção e continuamos na torcida pelo seu sucesso! Muito Obrigado.

Contatos com Waléria do Cavaco:
021 990003342
wbhenrique@gmail.com
youtube.com/waleriadocavaco
@waleria_beatriz
@waleriaoficial2020
www.facebook.com/waleriabeatriz

 

Matéria por: Revista Cavaco.
E-mail: contato@revistacavaco.com.br

Alô Comunidades!!

Vai Fazer live?